• Giovanna Leopoldi

Wanderlei Silva: livro sobre lutador revela início de demência pugilística; ele quer doar cérebro

Quando o curitibano Wanderlei Silva subiu no ringue, montado no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, em novembro de 1996, para sua primeira luta de vale-tudo, começou a escrever uma história de nocautes, combates ferozes e muitas polêmicas. Então com 20 anos, ele viria a se tornar um dos grandes lutadores de MMA, esporte que dava seus primeiros passos nos anos 90.


Vinte e quatro anos e 51 lutas depois, Wanderlei Silva parece um homem diferente daquele que já foi apelidado de "Cachorro Louco" e que costumava chutar a cabeça de adversários caídos. Em entrevista ao UOL Esporte, o atleta (que ainda não se decidiu sobre sua aposentadoria definitiva) mostrou um lado menos conhecido. Falou sobre sua personalidade emotiva, sobre seu interesse por astrologia e sobre sua iniciação sexual no tatame da academia.


Também mostrou arrependimento pela briga pública que teve com o presidente do UFC, Dana White, depois ter fugido de um exame antidoping nos Estados Unidos. "Ganhamos muito dinheiro juntos e ele sempre me tratou com profissionalismo", reconhece.


Ele acaba de lançar sua autobiografia, "Wanderlei Silva Sem Coleira", escrita em parceria com os jornalistas Thiago Parijani e Luis Henrique Gurian. Assista a entrevista no vídeo abaixo e leia algumas histórias curiosas do livro na matéria completa do UOL.



Por UOL

Leia matéria completa em https://www.uol.com.br/esporte/reportagens-especiais/wanderlei-silva-revela-que-perdeu-virgindade-na-academia-e-que-tem-astrologo-particular/#page3

Receba nossas atualizações

  • Branca Ícone Instagram
  • Ícone do Facebook Branco