• Tatiana Carvalho

Outubro Rosa: nutricionista tira as principais dúvidas sobre alimentação e o câncer

Em exclusividade para o Trend Times, a nutricionista e professora, Érica Martins Gomes, fala sobre como a alimentação pode ser uma poderosa aliada na prevenção à doença. A nutricionista também compartilha algumas receitas para atenuar o mal estar dos pacientes oncológicos


Como parte do especial de Outubro Rosa, campanha mundial de alerta e combate ao Câncer de Mama, o Trend Times traz essa semana uma entrevista com a professora universitária e nutricionista, Érica Martins Gomes, sobre como uma dieta saudável pode ajudar na prevenção de várias doenças, inclusive o câncer.


Segundo dados do INCA (Instituto Nacional de Câncer), 20% dos casos da doença e 35% das mortes por câncer nos países em desenvolvimento, como o Brasil, são causados por uma dieta inadequada.


A nutricionista fala sobre alguns dos principais mitos e dúvidas sobre alimentação e o câncer e traz algumas dicas de como amenizar enjoos e o mal estar dos pacientes que estão em tratamento oncológico.


Érica Martins Gomes, Nutrição Clínica Funcional.

  • Muito se diz sobre alimentos que podem causar câncer. Acredito que isso não seja verdade mas, existem alimentos mais propensos ao câncer?

Há vários estudos nacionais e internacionais relacionando o câncer com o hábito alimentar da população.


Na verdade, os alimentos ultraprocessados e processados - ricos em gorduras, amidos ou açúcares os alimentos do tipo fast food, o hambúrguer, pizza e cachorro-quente e produtos prontos para consumir ou aquecer, como lasanhas, salgadinhos e biscoitos, contêm grande quantidade de gorduras e açúcares e, portanto, alta concentração de calorias. Esses alimentos calóricos e pobres em nutrientes levam ao aumento de peso e obesidade e com isso aumentam o risco de desenvolver o câncer.


Estudos mostram também que consumir bebidas alcoólicas aumenta o risco de desenvolver diferentes tipos de câncer.


  • A carne vermelha também é recomendada diminuir, certo? Para quem já tem algum fator de risco, como histórico familiar, é preciso retirar totalmente da dieta?

Certo. O consumo de carnes vermelhas como de boi, porco, cordeiro e bode, entre

outras, se consumidas em grande quantidade, podem aumentar a chance de

desenvolver câncer.


Em indivíduos com histórico familiar, assim como na população em geral, o consumo de carne vermelha deve ser limitado a 500 gramas de carne cozida por semana. As carnes grelhadas, fritas ou preparadas como churrasco podem aumentar a chance de desenvolver câncer. As melhores formas de preparo são assadas, cozidas e ensopadas.

  • Outra dúvida frequente é sobre o consumo de alimentos crus. Os pacientes oncológicos não devem consumir alimentos crus? Por quê?

Os nutrientes são preservados no alimentos crus, quando comparados àqueles cozidos, no entanto em pacientes que estão em tratamento deve-se evitar o consumo para não comprometer ainda mais a imunidade.


  • Existe alguma dieta ideal para tentar minimizar os riscos de doenças como o câncer?

Sim. Umas das principais formas de evitar o câncer é ter uma alimentação saudável. A ingestão rica em alimentos de origem vegetal como frutas, legumes, verduras, cereais integrais, feijões e outras leguminosas, podem prevenir novos casos de câncer. Esses alimentos possuem vitaminas, minerais, fibras e fitoquímicos (substâncias antioxidantes que dão cor aos alimentos e protegem contra doenças).


  • No caso das pessoas que já são pacientes oncológicos, o que não pode faltar na alimentação deles?

Alimentos que aumentam a imunidade, como frutas (incluir as cítricas-que são ricas em vitamina C), verduras de cor verde escura e legumes, carnes brancas e leguminosas como feijões, lentilha, ervilha, grão de bico.


  • Existem alimentos que ajudam no enjoo? Se sim, quais? Dizem que a água com gás ajuda, é verdade?

Sim. O indicado é dar preferência para alimentos frios ou em temperatura ambiente. É preciso evitar as comidas gordurosas, condimentadas e picantes, alimentos muito quentes, carnes vermelhas, alimentos muito doces e com cheiro forte. E não ficar muito tempo sem comer, pois isso piora os sintomas.


O consumo de água mineral gelada com limão, ou água com gás ajudam a melhorar este tipo de desconforto.


  • Por fim, gostaríamos de saber se existem receitas culinárias indicadas para pacientes oncológicos. Pode nos dar alguns exemplos?

Sim. Abaixo trago algumas receitas que podem ser indicadas para pacientes oncológicos.

Shake obstipante. Ótimo para quem está com diarreia. Modo de preparo: Bata no liquidificador 1 polpa congelada de caju com 200 ml de água de coco e 50 ml de suco concentrado de goiaba. Rendimento: 1 porção Suco laxativo. Contra obstipação. Modo de preparo: Bata no liquidificador 1/2 mamão papaia, 3 ameixas secas sem caroço e 200 ml de suco de laranja. Rendimento: 1 porção Geladinho refrescante. Para náuseas e vômitos. Modo de preparo: Bata no liquidificador, por 2 minutos, 300 ml de chá de erva-doce ou hortelã, 5 pedacinhos de gengibre (somente a parte branca), 1 colher e 1/2 (sopa) com mel ou frutose. Despeje essa mistura em forminhas e leve ao congelador. Após congelado, consuma como sorvete sempre que se sentir nauseado. Se preferir, pode colocar um cubo dentro de qualquer suco de sua preferência. Rendimento: 1 forma de gelo


Fonte: Nutricionistas do Hospital Sírio Libanês

As informações são baseadas nos relatórios do Fundo Mundial para Pesquisa contra o Câncer (WCRF), do Instituto Americano de Pesquisa em Câncer (AICR) e do Instituto Nacional do Câncer (INCA).



Érica Martins Gomes é Nutricionista (CRN3 10.657) e atua com a Nutrição Clínica Funcional. Ela é mestre em Nutrição pela USP e leciona em Universidades em São Paulo, desde 2002, em cursos na área da saúde e na gestão do curso de graduação em Nutrição. Como professora Universitária já passou pela UnG, Uninove, Anhanguera e FAM.