• Tatiana Carvalho

Em ano atípico, tendência da Black Friday 2020 é ser essencialmente no e-commerce

Pandemia mudou os hábitos de consumo brasileiro e cria expectativa para a data


Imagem: Unsplash

Mesmo com a abertura gradual dos shoppings e centros comerciais que já acontece há alguns meses em todo o país, os consumidores ainda estão tímidos para voltar às lojas físicas. Uma pesquisa da Go2Mob apontou que 35% dos brasileiros começaram a comprar pela internet ou aumentaram o volume de compras online depois da pandemia. Somente no mês de outubro, o e-commerce brasileiro registrou 1,28 bilhão de acessos e as vendas online tiveram um aumento de 10% de acordo com o Relatório Setores do E-commerce no Brasil, divulgado pela Conversion.

Este cenário aumenta a expectativa de marcas que vendem online para a Black Friday deste ano. Frederico Heitmann, CEO da ACCT, empresa de tecnologia especializada em soluções para o comércio digital e que implementa algumas das maiores lojas online do país como C&A, Samsung e Tok&Stok comenta que seus clientes registraram um crescimento bem expressivo esse ano:


“Ao considerarmos os índices entre 2018 e 2019, veremos que o crescimento da Black Friday fica na casa de 23% enquanto o total do ano é de apenas 16%. Se aplicarmos as estimativas de mercado de 2020 que apontam o crescimento na casa de 110%, estamos prevendo um aumento para o período de Black Friday de 158%”. - pontua.

Contudo, ele comenta um ponto de atenção: “Apesar do grande potencial existe um risco alto desse número não ser alcançado devido a falta de estoque dos lojistas causado pelo impacto que as indústrias e a cadeia de suprimentos sofreram neste ano atípico. Outra consequência disso, é possibilidade de termos descontos menos expressivos”- afirma.

Uma tendência que tem grande probabilidade de se manter é com relação aos produtos mais vendidos: “Tudo nos leva a crer que os eletrônicos terão destaque novamente. São produtos padronizados, fáceis de transportar e de alto valor agregado, por isso um bom desconto neste caso se torna bastante atrativo. Historicamente os produtos mais buscados são celulares, smartphones, iphones, notebook, roupas, calçados, TVs e Smart TVs”. - afirma. E por fim, Frederico dá algumas dicas para o consumidor ter vantagem na data e fazer boas compras:


  • Defina o que deseja antes de iniciar as compras

  • Pesquise a marca nas recomendações e fóruns online

  • Pesquise preços com antecedência

  • Desconfie de preços muito baixos

  • Atenção aos produtos descontinuados e com defeitos

  • Atenção aos prazos de entrega, especialmente esse ano os lojistas podem estar com estoques baixos de produtos de alta demanda, levando a prazos de entrega muito altos