• Giovanna Leopoldi

Conheça Kaique Alves - da periferia de São Paulo ao Grammy Latino


Foto: Felipe Max


Quem nunca teve um sonho? E quantos garotos da periferia já não sonharam em se tornarem alguém reconhecido? Pois bem, o sonho daquele garoto humilde, nascido e criado em Cangaíba, distrito situado na zona leste de São Paulo, com cerca de 150 mil habitantes, tornou-se realidade. Hoje, com 22 anos, Kaique Alvez é um dos principais nomes da conceituada produtora KondZilla e participou de uma das maiores premiações da música no mundo, o Grammy Latino.

Mas nada aconteceu de mãos beijadas ao menino, que teve sua trajetória iniciada lá trás, quando ainda sonhava em ser jogador de futebol, sonho este que na verdade paira a cabeça da maioria da garotada da periferia.  O jovem até chegou a jogar pelas categorias de base do time Corinthians, mas com 14 anos, sofreu um acidente, quebrou cinco costelas e ficou imobilizado por quatro meses e cerca de 8 sem poder fazer nenhuma atividade física. Foi durante este período de recuperação que descobriu seu verdadeiro talento.

Nesse tempo de cama, sem poder ir para rua ou jogar, mergulhou na internet, se encantou pelo universo dos vídeos e começou a estudar edição. Com a ajuda da mãe, e depois de fazer alguns bicos, comprou uma máquina filmadora simples e decidiu promover alguns primeiros vídeos seu irmão e primo, MCs na época. Teve então a ideia de à ‘Liga do Funk’, uma associação que ajudava jovens ingressantes no segmento. Lá, pediu ao Marcelo Galático, organizador do esquema, para subir no palanque em um dia de evento, para informar que era produtor de vídeo e oferecer os serviços de gravação de videoclipe para os interessados. Ali fez alguns amigos e acabou indo parar em uma produtora. De início, ofereceu, inclusive, o trabalho de fotos e produção de vídeos de graça, desde que deixassem ele utilizar uma das salas como estúdio. A ideia era criar valor para o empresário em troca de oportunidade. Deu certo!

O gênero escolhido por Kaique o ajudou a conquistar seu espaço no mercado, já que, é incontestável que o funk representa um dos fenômenos que mais crescem no Brasil, seja em audiência, seja na quantidade de artistas e hits ou na evidente qualidade das produções. Esse sucesso se deve ao brilhante trabalho de jovens artistas, diretores e produtores, com intelecto que os colocaria em posição de destaque em qualquer área de atuação; mas eles escolheram o funk como sua plataforma de trabalho e, por que não, sua bandeira.

Kaique que hoje é conhecido como um artista pulverizador da cultura periférica do Brasil para o mundo expandiu fronteiras e hoje se estabelece, inclusive, internacionalmente, sendo reconhecido e requisitado pela sua atuação. Prova disso é o seu recente trabalho na direção do clipe da música Corpo Sensual (feat. Tyga e Kevinho), que em pouco tempo já atingiu mais de 13 milhões de visualizações no YouTube.

Observando-se a filmografia dos principais artistas do Funk no Brasil, fica claro que Kaique é um dos responsáveis pela identidade visual do gênero. O diretor se tornou figura obrigatória na ficha técnica das principais produções, sendo o profissional preferido do funkeiro Kevinho, por exemplo. Os números impressionam: logo no inicio de sua carreira, Alves já emplacou sua marca no clipe “Olha a Explosão”, de Kevinho; o vídeo foi um dos únicos a bater 1 bilhão de acessos no mundo.

Diretamente de Cangaíba – periferia da zona leste de São Paulo – para importantes experiências nos Estados Unidos, Alves tem colaborado para a internacionalização do Funk produzido no Brasil e inspirado outros jovens que, como ele, tiveram uma infância humilde mas, com a música, ou qualquer outra área, poderão continuar a sonhar e terem a certeza que os sonhos podem ser concretizados.


Kevinho e Kaique Alves

Foto: Felipe Max


Fonte: Assessoria de Imprensa

Receba nossas atualizações

  • Branca Ícone Instagram
  • Ícone do Facebook Branco