• Giovanna Leopoldi

68% das mulheres assassinadas no Brasil são negras, diz Atlas da Violência

De Universa, em São Paulo (UOL)


Mulheres negras foram 68% das 4.519 mulheres assassinadas no Brasil em 2018 Imagem: Robin Gentry/EyeEm/Getty Images


Em 2018, 68% das mulheres assassinadas no Brasil eram negras, segundo o Atlas da Violência 2020, estudo anual produzido pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), que ganhou nova edição hoje.


De acordo com o levantamento, uma mulher é assassinada a cada duas horas no Brasil —foram 4.519 mulheres assassinadas em 2018, um índice de 4,3 a cada 100 mil mulheres que moram no país.


O comparativo entre 2008 e 2018 expõe ainda mais a desigualdade racial da estatística: neste intervalo de uma década, os homicídios de mulheres negras aumentaram 12,4%, enquanto os homicídios entre mulheres brancas caíram 11,7%.


LGBTfobia

O Atlas da Violência comparou também notificações de vários crimes contra pessoas LGBTQ+ em 2017 e 2018 — na estatística geral, foram 9,2 mil casos registrados, um aumento de 19,8% no período de um ano.


Foram registrados 1,8 mil casos de violência psicológica (7,4% a mais do que em 2017); 5 mil casos de violência física (aumento de 10,9%); e 2,1 mil casos classificados como "outro tipo de violência" (crescimento de 76,8%).


O único crime menos registrado no Brasil em 2018 foi a tortura de pessoas LGBTQ+, que com 231 casos ficou 7,6% abaixo do índice de 2017.


Veja mais em https://www.uol.com.br/universa/noticias/redacao/2020/08/27/68-das-mulheres-assassinadas-no-brasil-sao-negras-diz-ipea.htm

Receba nossas atualizações

  • Branca Ícone Instagram
  • Ícone do Facebook Branco